terça-feira, 29 de julho de 2014


Faleceu, aos 50 anos, o professor Francisco de Assis
 

Faleceu as 18:00h, desta terça-feira (29), no hospital de Barra do Choça, o professor Francisco de Assim (Chico). Francisco tinha 50 anos de idade e lutava há mais de quatro anos contra uma grave doença e, nos últimos dias, seu estado de saúde se agravou.
O velório ocorrerá na Igreja Betesda, situada na Rua Jovino Oliveira, e o sepultamento está  previsto para as 15:00h de amanhã  (quarta-feira) no cemitério municipal.
Comissão de Gestão do Plano de Carreira realiza novo processo de enquadramento de professores



Atendendo à solicitação do SIMPROBAC, a Comissão de Gestão do Plano de Carreira do Magistério Público Municipal de Barra do Choça se no último dia 17 para a realização do processo de enquadramento dos professores na carga horária da 40 horas semanais. Na oportunidades a Comissão deferiu os pedidos dos professores, de acordo os critérios discutidos e aprovados pela categoria.
Esse processo será finalizados com a publicação da portaria, pela Semed, com os nomes dos professores contemplados.
Comissão de Gestão do Plano de Carreira é composta por representantes dos professores e da Administração Municipal. Além da atribuição de acompanhar o cumprimento das leis educacionais municipais, a comissão também é responsável pela realização dos processos de enquadramento, designação, remoção e suplementação dos professores.

domingo, 20 de julho de 2014

Plebiscito poderá discutir federalização da Educação Básica

Federalizar a Educação Básica é a proposta de Cristovam Buarque (PDT-DF). O senador quer um plebiscito para debater o tema. O PDS 460/2013 tem parecer favorável do relator, Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). Cristovam também é autor da PEC 32/2013, que propõe a federalização da Educação.
Segundo o projeto, com a federalização da chamada Educação Básica, a União passaria a ter a responsabilidade sobre a EB.

O senador propõe que a consulta seja feita simultaneamente com o primeiro turno das eleições deste ano, marcado para o dia 5 de outubro.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Após inúmeras cobranças do SIMPROBAC Administração Municipal envia projeto de lei para Câmara de Vereadores

Foram necessários 2 (dois) de cobranças para que a Administração Municipal de Barra do Choça enviasse projeto de lei para a Câmara de Vereadores. O mesmo, que faz parte dos acordos da Campanha Salarial 2014, cria o nível V no Plano de Carreira do Magistério, regulamenta o pagamento de gratificações para coordenadores pedagógicos e professores do Ciclo de Alfabetização.

O projeto será votado pelo Legislativo à partir do dia 05 de agosto, data em que a Câmara retorna de seu recesso parlamentar.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Morosidade do governo Oberdam poderá comprometer cumprimento de acordos da Campanha Salarial 2014


Já se passaram 2 (dois) meses do fim da Campanha Salarial 2014 e o governo Oberdam ainda não cumpriu parte dos acordos feitos com os professores.
A grande questão envolve o envio do projeto de lei que assegura a gratificações para professores que lecionam no Ciclo de Alfabetização e para coordenadores pedagógicos, além da inclusão do nível V (doutorado) no Plano de Carreira.

Diante de tamanha morosidade, a diretoria do SIMPROBA  entrou em contato por diversas vezes com a Administração Municipal que, por sua vez, não apresentou nenhum posicionamento sobre os prazos para envio do projeto à Câmara de Vereadores.
É importante relembrar que os professores de Barra do Choça não entraram em greve neste ano devido à realização deste acordo com o Governo Municipal.
Tal situação está deixando a categoria apreensiva e revoltada e, deste modo, é necessário que o governo Oberdam e sua equipe cumpram os acordos como forma de evitar possíveis desgastes.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Administração     Municipal    ainda   não enviou projeto de lei  para  a Câmara  de Vereadores
Até o dia 07 de julho, a Administração Municipal de Barra do Choça não havia encaminhado um dos projetos de leis negociados na Campanha Salarial 2014. O mesmo introduz o Nível V no Plano de Carreira, regulamenta o pagamento de gratificações para coordenadores pedagógicos e professores que lecionam no Ciclo de Alfabetização. O SIMPROBAC enviou ofício ao prefeito Oberdam e à Secretária de Administração, Rejane Barreto, solicitando esclarecimentos e agilidade no processo.
Os  professores esperam que o governo Oberdam envie o projeto de lei para votação na Câmara o mais rápido possível, em cumprimento aos acordos firmados com a categoria afim de evitarmos possíveis desgastes.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Segundo pesquisa, professor brasileiro é um dos que mais trabalham

Pesquisa foi feita com mais de 14 mil professores brasileiros; docentes usam apenas 67% do tempo da aula; o resto é "desperdiçado" com atividades administrativas e no controle da "bagunça".
Os professores brasileiros de escolas de ensino fundamental gastam, em média, 25 horas por semana só com as aulas. O número é superior à média de aproximadamente 30 países, como a Finlândia, Coreia, Estados Unidos, México e Cingapura. Lá, os professores gastam, em média, 19 horas por semana ensinando em sala de aula, ou seja, um porcentual 24% menor. O  posição brasileira é inferior apenas à do Chile, onde os professores gastam quase 27 horas em aulas.
O docente brasileiro, contudo, usa até 22% mais de tempo que a média dos demais países em outras atividades da profissão, como correção de "tarefas de casa", aconselhamento e orientação de alunos. Todos os dados são da mais recente Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Talis) divulgada nesta quarta-feira (25) na França.
Junto com o Brasil, não foram apenas países ricos e integrantes da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) - coordenadora da pesquisa - que participaram do estudo. Outras nações emergentes e também países menos desenvolvidos fizeram parte da pesquisa. Polônia, Bulgária, Croácia, Malásia e Romênia fazem parte do conjunto de nações integrantes da edição 2013 da Talis.
Os dados foram obtidos junto a mais de 14 mil professores brasileiros e cerca de 1 mil diretores de 1070 escolas públicas e privadas de todos os estados do País. Os docentes e dirigentes responderam aos questionários da pesquisa, de forma sigilosa, entre os meses de setembro a novembro de 2012. Cada questionário tinha cerca de 40 perguntas.

Em âmbito nacional, o estudo foi coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC). Em 2007, o Brasil também participou da primeira rodada da pesquisa, a Talis 2008, que foi publicada no ano seguinte.
Fonte: CNTE