domingo, 20 de julho de 2014

Plebiscito poderá discutir federalização da Educação Básica

Federalizar a Educação Básica é a proposta de Cristovam Buarque (PDT-DF). O senador quer um plebiscito para debater o tema. O PDS 460/2013 tem parecer favorável do relator, Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). Cristovam também é autor da PEC 32/2013, que propõe a federalização da Educação.
Segundo o projeto, com a federalização da chamada Educação Básica, a União passaria a ter a responsabilidade sobre a EB.

O senador propõe que a consulta seja feita simultaneamente com o primeiro turno das eleições deste ano, marcado para o dia 5 de outubro.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Após inúmeras cobranças do SIMPROBAC Administração Municipal envia projeto de lei para Câmara de Vereadores

Foram necessários 2 (dois) de cobranças para que a Administração Municipal de Barra do Choça enviasse projeto de lei para a Câmara de Vereadores. O mesmo, que faz parte dos acordos da Campanha Salarial 2014, cria o nível V no Plano de Carreira do Magistério, regulamenta o pagamento de gratificações para coordenadores pedagógicos e professores do Ciclo de Alfabetização.

O projeto será votado pelo Legislativo à partir do dia 05 de agosto, data em que a Câmara retorna de seu recesso parlamentar.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Morosidade do governo Oberdam poderá comprometer cumprimento de acordos da Campanha Salarial 2014


Já se passaram 2 (dois) meses do fim da Campanha Salarial 2014 e o governo Oberdam ainda não cumpriu parte dos acordos feitos com os professores.
A grande questão envolve o envio do projeto de lei que assegura a gratificações para professores que lecionam no Ciclo de Alfabetização e para coordenadores pedagógicos, além da inclusão do nível V (doutorado) no Plano de Carreira.

Diante de tamanha morosidade, a diretoria do SIMPROBA  entrou em contato por diversas vezes com a Administração Municipal que, por sua vez, não apresentou nenhum posicionamento sobre os prazos para envio do projeto à Câmara de Vereadores.
É importante relembrar que os professores de Barra do Choça não entraram em greve neste ano devido à realização deste acordo com o Governo Municipal.
Tal situação está deixando a categoria apreensiva e revoltada e, deste modo, é necessário que o governo Oberdam e sua equipe cumpram os acordos como forma de evitar possíveis desgastes.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Administração     Municipal    ainda   não enviou projeto de lei  para  a Câmara  de Vereadores
Até o dia 07 de julho, a Administração Municipal de Barra do Choça não havia encaminhado um dos projetos de leis negociados na Campanha Salarial 2014. O mesmo introduz o Nível V no Plano de Carreira, regulamenta o pagamento de gratificações para coordenadores pedagógicos e professores que lecionam no Ciclo de Alfabetização. O SIMPROBAC enviou ofício ao prefeito Oberdam e à Secretária de Administração, Rejane Barreto, solicitando esclarecimentos e agilidade no processo.
Os  professores esperam que o governo Oberdam envie o projeto de lei para votação na Câmara o mais rápido possível, em cumprimento aos acordos firmados com a categoria afim de evitarmos possíveis desgastes.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Segundo pesquisa, professor brasileiro é um dos que mais trabalham

Pesquisa foi feita com mais de 14 mil professores brasileiros; docentes usam apenas 67% do tempo da aula; o resto é "desperdiçado" com atividades administrativas e no controle da "bagunça".
Os professores brasileiros de escolas de ensino fundamental gastam, em média, 25 horas por semana só com as aulas. O número é superior à média de aproximadamente 30 países, como a Finlândia, Coreia, Estados Unidos, México e Cingapura. Lá, os professores gastam, em média, 19 horas por semana ensinando em sala de aula, ou seja, um porcentual 24% menor. O  posição brasileira é inferior apenas à do Chile, onde os professores gastam quase 27 horas em aulas.
O docente brasileiro, contudo, usa até 22% mais de tempo que a média dos demais países em outras atividades da profissão, como correção de "tarefas de casa", aconselhamento e orientação de alunos. Todos os dados são da mais recente Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Talis) divulgada nesta quarta-feira (25) na França.
Junto com o Brasil, não foram apenas países ricos e integrantes da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) - coordenadora da pesquisa - que participaram do estudo. Outras nações emergentes e também países menos desenvolvidos fizeram parte da pesquisa. Polônia, Bulgária, Croácia, Malásia e Romênia fazem parte do conjunto de nações integrantes da edição 2013 da Talis.
Os dados foram obtidos junto a mais de 14 mil professores brasileiros e cerca de 1 mil diretores de 1070 escolas públicas e privadas de todos os estados do País. Os docentes e dirigentes responderam aos questionários da pesquisa, de forma sigilosa, entre os meses de setembro a novembro de 2012. Cada questionário tinha cerca de 40 perguntas.

Em âmbito nacional, o estudo foi coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC). Em 2007, o Brasil também participou da primeira rodada da pesquisa, a Talis 2008, que foi publicada no ano seguinte.
Fonte: CNTE

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Segundo a AGU, as áreas de educação e saúde são as que mais sofrem com desvios de verbas no Brasil

"Quando você pulveriza o dinheiro público, você dificulta a fiscalização e até mesmo a percepção de que você tem que fiscalizar. Então nas pequenas obras, nos pequenos repasses, é que nós encontramos o maior fluxo de casos", afirmou Mendonça em entrevista ao jornal local "O Globo". De acordo com o responsável pelo Departamento de Património e Probidade da AGU, cerca de 60% a 70% do total de casos de corrupção envolvendo dinheiro público no Brasil concentram-se nos sectores de saúde, educação e saneamento básico.
Nos últimos anos, a Advocacia Geral da União tem aumentado os esforços no sentido de recuperar o prejuízo que estes casos geram para os cofres públicos. Embora reconheça que ainda há muita impunidade, Mendonça destaca que houve um avanço no montante recuperado pelo seu departamento nos últimos dois anos. 
Para Mendonça, um dos maiores obstáculos à punição dos responsáveis por casos deste tipo é a lentidão da Justiça. O diretor da AGU defende uma reforma estrutural para reduzir o tempo entre investigação da prática da irregularidade e a efetiva recuperação do dinheiro desviado. Hoje, de acordo com os seus cálculos, todo o processo pode durar até 17 anos.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Totalmente inacabada, obra de cobertura e reforma da quadra do CEBC faz hoje (06/06) aniversário de 2 (dois) anos


Hoje (06/06) a obra de cobertura da quadra do Centro Educacional de Barra do Choça (CEBC) completa 2 (dois) anos. Apesar de o município de Barra do Choça ter recebido um recurso federal de mais de 240 mil reais, a obra se encontra inacabada, com atraso de 18 (dezoito) meses para entrega.

Além disso, a Secretaria Municipal de Educação não iniciou o trabalho de reforma da sua estrutura (piso, arquibancada, alambrado, vestiário).
Historicamente, o governo Oberam não tem tido a capacidade de executar os projetos federais, o que tem provocado transtornos e indignação na população. A ineficiência do governo Oberdam na execução desse projeto é algo cabível de discussão pela comunidade de Barra do Choça, pois o município não está sendo capaz de cumprir os prazos estabelecidos pelo Governo Federal para a execução deste e de outros projetos, à exemplo da escola do bairro Primavera, cujo recurso de quase três milhões de reais foi enviado no ano de 2008 e após mais de cinco anos não há previsão para conclusão do projeto.